Menu Mobile

Ministério Público fiscaliza eleição para conselheiros tutelares

Ministério Público fiscaliza eleição para conselheiros tutelares

samantha

Foram realizadas neste domingo, 06 de outubro, eleições para o Conselho Tutelar em todo o Brasil. No Rio Grande do Sul, os eleitores foram às urnas para eleger 2.630 conselheiros tutelares para os 526 Conselhos Tutelares. O Ministério Público, por meio das Promotorias de Justiça da Infância e da Juventude, atuou para garantir a lisura do pleito. Das 8h às 17h, os plantões das promotorias receberam denúncias de irregularidades, que foram verificadas no local e podem gerar investigações.

Em Porto Alegre, cidade na qual os candidatos disputaram 50 vagas para conselheiros tutelares, quatro promotores de Justiça – Maria Augusta Menz, Danielle Bolzan Teixeira, André Mac-Donald e Angela Dal Pos – circularam durante todo o dia pelas 10 juntas eleitorais da Capital, localizadas nas microrregiões do Conselho Tutelar, de onde partiam para verificar as denúncias. “Recebemos mais de 20 relatos de irregularidades, principalmente de transporte de eleitores e propaganda boca de urna”, afirmou a promotora Maria Augusta, que acompanhou a apuração na Câmara de Vereadores.

No começo da manhã, os principais problemas verificados pela equipe de promotores, que acompanhou e orientou o processo, foi o não comparecimento de mesários escalados pela Prefeitura. “Houve algum transtorno para os eleitores que chegaram cedo, mas os problemas foram solucionados com o remanejamento dos mesários”, informou a promotora.