Santa Maria sedia o II Seminário Regional de Boas Práticas Restaurativas

Santa Maria sedia o II Seminário Regional de Boas Práticas Restaurativas

flaviaskb

A Promotoria de Justiça Regional de Educação de Santa Maria (Preduc-SM), com apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), promoveu, na última terça-feira, 27, o II Seminário Regional de Boas Práticas Restaurativas: A Educação Entrelaçando Redes. A programação, que reuniu mais de 250 pessoas de pelo menos 30 municípios da região, promove o compartilhamento de bons exemplos e a troca de experiências no emprego da metodologia das práticas restaurativas. Tendo por local o auditório da Faculdade de Direito de Santa Maria (Fadisma), o Seminário foi uma realização da referida Fadisma, Preduc-SM e Ceaf.

A parte da manhã foi dedicada à apresentação de 14 boas práticas restaurativas, como a da assistente social Franciele Martins Machado. Em atuação junto ao Creas de Tupanciretã, desde julho deste ano ela facilita círculos de paz com mulheres vítimas de violência doméstica naquele município. Após compartilhar pela primeira vez essa experiência a um público amplo, Franciele agradeceu a oportunidade de “poder dizer que é possível fazer essa prática, usar essa metodologia, em todos os ambientes, inclusive aqueles que têm uma violência bem demarcada”.

O Ministério Público já realizou cinco edições do curso Práticas Restaurativas: a Educação Entrelaçando Redes, ministrados pela assessora da Preduc-SM, Isabel Cristina Martins Silva, com certificação mediante convênio com a Fadisma. A maioria das práticas apresentadas no seminário são iniciativas de multiplicadores formados pelo curso, como é o caso da conselheira tutelar Rosecléia Porto, da turma de 2015, que, com as colegas Bianca e Claudete, do Conselho Tutelar Leste, de Santa Maria, relataram a aplicação da metodologia no enfrentamento da infrequência escolar. Rosecléia Porto contou já ter facilitado círculos em outras ocasiões. “Quando nós temos um problema, eu sempre lembro de propor uma prática, um círculo de paz. A gente usa muito isso”, explica.

Pela parte da tarde, o professor em Neurociência do Comportamento da PUCRS, Guilherme Nogueira, ministrou a palestra Neurociência do comportamento e da aprendizagem – Uma complexa trama de relações interdependentes e complementares. Nogueira explanou sobre o funcionamento do cérebro humano, como são processadas as interações com o ambiente externo, quais os desfechos disso na aprendizagem e como operam as práticas restaurativas no nível neurocientífico. Após acompanhar parte das apresentações pela manhã, Nogueira disse estar “maravilhado” com as propostas restaurativas. “Tenho certeza que, como efeito modulatório para uma sociedade mais harmônica e salutar, esse é um caminho fantástico”, complementou o professor. Psicóloga em Unistalda, Carla Moraes foi uma das participantes a acompanhar a palestra, por acreditar que a possibilidade de uma abordagem da neurociência qualifica muito o trabalho realizado.

A promotora Regional de Educação, Rosangela Correa da Rosa, reforçou a interligação entre diferentes entes da rede de apoio à escola, na superação de conflitos e desafios. “Nós precisamos nos ver como parte de um todo e caminharmos juntos. É nisso que a Promotoria Regional de Educação acredita. Juntos, cada um fazendo a sua parte, avançamos na educação”, frisou. No mesmo tom, o coordenador do curso de direito da Fadisma, Lucas Righi, avaliou positivamente a parceria e lembrou o trabalho em conjunto com o MP, que tem colaborado na disseminação de uma cultura de paz.

Também participaram do seminário o promotor de Justiça de Faxinal do Soturno Claudio Estivallet Junior, servidores e estagiários do Ministério Público, bem como educadores, acadêmicos, profissionais da área da Saúde, Assistência Social, Segurança e do Direito, além de coordenadores, diretores escolares e gestores municipais, vindos de toda região.