Menu Mobile

Caso Bárbara Penna: réu é condenado a 28 anos e quatro meses de prisão

Caso Bárbara Penna: réu é condenado a 28 anos e quatro meses de prisão

flaviaskb

Após dois de julgamento, João Guatimozin Moojen Neto foi condenado a 28 anos e quatro meses de prisão em regime inicial fechado. Conforme o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Porto Alegre, o réu foi responsável pela tentativa de homicídio duplamente qualificada de Bárbara Penna de Moraes Souza. Moojen Neto foi considerado parcialmente culpado pelo homicídio duplamente qualificado dos dois filhos do casal, de três meses e dois anos. Pelo homicídio duplamente qualificado de Mário Ênio Pagliarini, o réu foi inocentado. A acusação do julgamento, que iniciou nesta terça-feira, 03, e encerrou por volta das 19h desta quarta-feira, 04, foi promovida pelo promotor de Justiça José Eduardo Corsini, que recorreu para ampliação da pena aplicada ao réu.

DENÚNCIA

O Ministério Público denunciou Moojen Neto em novembro de 2013 pelos crimes cometidos no dia 07 do mesmo mês. Naquela noite, no interior do bloco C do prédio de número 150 da Avenida Panamericana, Jardim Lindóia, em Porto Alegre, ele ateou fogo no apartamento em que morava com a esposa, Bárbara Penna de Moraes Souza, então com 19. Ela sofreu queimaduras graves e ficou meses internada na UTI, enquanto que as crianças, um menino de três meses e uma menina de dois anos, morreram. O vizinho Mário Ênio Pagliarini, de 79 anos, morreu intoxicado pela fumaça. O denunciado praticou o crime porque não aceitava o rompimento do relacionamento com Bárbara Penna de Moraes Souza, com quem tinha os dois filhos que matou.