Litoral Norte: três locais clandestinos foram interditados no primeiro dia de FT Segurança Alimentar

Litoral Norte: três locais clandestinos foram interditados no primeiro dia de FT Segurança Alimentar

flaviaskb

A Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar realizou nesta segunda-feira, 10, inspeção em seis locais nas praias de Imbé, Tramandaí e Cidreira. Ao todo, foram apreendidas cerca de onze toneladas de alimentos impróprios ao consumo no primeiro dia de ação da FT Segurança Alimentar no Litoral Norte.

Em Tramandaí, foi fiscalizada e autuada a Peixaria Laureano, por armazenar e comercializar pescados vencidos. Houve, também, autuação do Supermercado Popular. Em Imbé, o Quiosque Estação 4 foi autuado por vender pescados vencidos.

Outros três locais, dois em Imbé e um em Cidreira, que funcionavam clandestinamente, foram vistoriados e acabaram fechados, a partir de mandados de busca e apreensão.

Em Imbé, a FT localizou um deposito clandestino pertencente à Peixaria Laureano. Lá estava armazenada uma grande quantidade de pescados, o que é irregular. Tudo foi apreendido e inutilizado. Também em Imbé, outro depósito clandestino, desta vez pertencente ao Quiosque Estação 4, foi identificado pela FT. Mais uma vez uma grande quantidade de pescado foi encontrada, mas sem procedência. Em Cidreira, outro local irregular foi vistoriado e fechado, o Galera da Pesca. Não havia alvará, estava localizado em terreno de Marinha e em péssimas condições de higiene.

Segundo a coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Consumidor e da Ordem Econômica, Caroline Vaz, as operações, com início nesta segunda-feira, tem como objetivo orientar e também fiscalizar os estabelecimentos antes do início do veraneio. “O foco da Força-Tarefa Segurança Alimentar, como já vem sendo feito em outras temporadas, é garantir que o comércio já esteja adequado, fornecendo alimentos seguros para o seu consumo, quando os consumidores chegarem para o período de festas e para o veraneio”, ressalta Caroline Vaz.

Participaram da operação os coordenadores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado - Segurança Alimentar - (Gaeco), Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a promotora de Justiça de Tramandaí, Mari Oni Santos da Silva , representantes da Secretaria Estadual da Agricultura, Delegacia do Consumidor, Patram, Procon Estadual Visa Estadual da 18ª Coordenadoria de Osório e Vigilâncias Sanitárias Municipais de Cidreira, Tramandaí e Imbé.