Menu Mobile

Seminário sobre economia circular lota auditório do Ministério Público nesta quarta

Seminário sobre economia circular lota auditório do Ministério Público nesta quarta

flaviaskb

Nesta quarta-feira, 05, Dia Mundial do Meio Ambiente, o Ministério Público, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente e com apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional, promoveu o Seminário Economia Circular: Oportunidade de Negócio e Solução Ambiental.

O evento, que lotou o auditório da sede do Ministério Público, reuniu exemplos de iniciativas em diversos setores de práticas de economia circular como oportunidades de negócio e proteção ao meio ambiente.

Na abertura do seminário, a promotora do meio ambiente de Porto Alegre Annelise Steigleder destacou a importância dos debates sobre meio ambiente no momento de insegurança por qual passa o País, com ameaças de retrocessos na legislação ambiental. “Ver tantas pessoas aqui, interessadas no tema, nos traz uma sensação de esperança, solidariedade, envolvimento”, disse ela.

A professora do curso de Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Istefani Carisio de Paula apresentou, na ocasião, o “Tinder de negócios”, um painel onde, empresários e pesquisadores puderam apresentar demandas e soluções na área de economia circular, e anunciou que estará sendo lançada, nos próximos dias, a plataforma “Select to take off”, o aplicativo com o mesmo objetivo.

Para o coordenador do Caoma, Daniel Martini, o seminário representa uma nova percepção deste momento em que o MP se insere. “É hora de repensar e substituir conceitos, como o de ‘fim de vida’ para ‘novos ciclos’, novos fluxos circulares. E isso pode ocorrer com novos enquadramentos sociais e institucionais”, disse o promotor.

Também fizeram parte da mesa de abertura o secretário municipal de Meio Ambiente, Maurício Fernandes; a representante da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Lilian Zenker; o gerente executivo da Agas, Francisco Schmidt; a representante da OAB-RS, Alessandra Lehmen, o advogado Marcino Fernandes Rodrigues Jr; o vice-presidente da Fiergs, Walter Lídio Nunes; e o diretor do DMLU, René José Machado de Souza.

PAINÉIS

Após a abertura, o evento iniciou com a palestra do pesquisador da Universidade de São Paulo e fundador da startup Upcycle, Diego Iritani, que falou sobre “A economia circular como oportunidade de negócios”. Seguido por Arildo Falcade Junior, que apresentou o case “Método Bumerangue no gerenciamento de resíduos sólidos nos Hospitais Moinhos de Vento e Santa Casa de Misericórdia”. Ricardo Marques Sastre falou sobre “A embalagem enquanto resíduo é um erro de design”. A mediação do painel ficou por conta do professor da PUCRS Juarez Freitas.

A segunda mesa, coordenada pelo professor da UFRGS Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, contou com a palestra do professor Fabian Scholze Domingues, que abordou o tema “Responsabilidade, circularidade e sustentabilidade: a emergência de um novo paradigma?”. Após, foram apresentados os cases “Sinctronics: uma nova forma de fazer negócios”, por Carlos Ohde, “Programa Lixo Zero do Supermercado Angeloni, por Gilberto Nascimento, e “Braskem: Plataforma WeCycle”, por João Ruy Dornelles Freire.

No intervalo de almoço, aconteceu em uma sala ao lado do auditório uma rodada de negócios e tecnologias, com a participação de startups e pesquisadores de universidades.

À tarde, “Lucro, instrumentos econômicos e desafios tributários. É possível resolver essa equação?” foi o assunto do debate entre o coordenador do Caoma, Daniel Martini, o advogado Aloísio Zimmer, o técnico da Fepam Renato das Chagas e Silva, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Pedro Henrique Poli e o secretário de meio ambiente de Bento Gonçalves, Sílvio Bertoli Pasin.

Ao final, ocorreu o sorteio de uma bolsa de estudos de 50% no curso EAD de pós graduação em direito ambiental e urbanístico oferecida pela FMP. A sorteada foi a participante do seminário Letícia Zanella.

O evento encerrou com uma mesa redonda com a participação dos debatedores.