Acervo de Pedras Altas chega ao Memorial do MP

Acervo de Pedras Altas chega ao Memorial do MP

flaviaskb

O Memorial do Ministério Público recebeu, na última sexta-feira, 22, os documentos retirados do complexo da Granja de Pedras Altas. A chegada dos documentos encerra a primeira fase do acordo de cooperação firmado entre Ministério Público e instituições para garantir a salvaguarda do acervo documental pertencente a Joaquim Francisco de Assis Brasil, que estava se deteriorando no local de onde foi retirado.

“O próximo passo agora é a formulação de um novo projeto para a execução da análise técnico-científica do material, tratamento adequado, digitalização e demais formas de salvaguarda”, explica o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente, Daniel Martini.

O intuito final é de que a documentação retorne ao Castelo de Pedras Altas, depois do restabelecimento das condições adequadas do prédio para seu recebimento e acondicionamento seguro.

Enquanto isso, o acervo permanecerá em ambiente adequado e seguro, sob a guarda e responsabilidade do Ministério Público.

Participaram do transporte do material, juntamente com servidores da Instituição, a historiadora do MPRS, Evelise Neves; a arquivistas Valéria Bertotti, da UFRGS, e a assessora do Caoma, Rovena Zanchet, que foram recebidas pela historiadora do MP, Cíntia Vieira Souto.

ACORDO DE COOPERAÇÃO

Pelo acordo, firmado em novembro de 2018, os Ministérios Públicos Estadual e Federal, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, Estado do RS, por meio da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Estadual – Iphae e Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, comprometem-se a conjugar esforços técnicos e operacionais para o cumprimento do Plano de Salvamento do Acervo Documental existente no Castelo de Pedras Altas, elaborado e apresentado por equipe técnica, no sentido de recolher, armazenar, estudar, tratar, digitalizar e de toda forma salvaguardar esses documentos, que estão em condições precárias de preservação pela instabilidade das condições, como alta umidade, sujeira, infiltrações do local e acondicionamento inadequado do material.

A Granja de Pedras Altas foi tombada pelo Estado em 1999, representando a concretização do pensamento e projeto do líder político Joaquim Francisco de Assis Brasil, incluindo o Castelo e outras edificações rurais construídas por ele. Em 2009, foram tombados os bens móveis do Castelo, que consistem em uma extensa lista de mobiliário, adornos, esculturas, lustres, louças, pratarias, quadros, tapetes, livros e documentos, entre outros objetos que pertenceram à Assis Brasil. Os livros existentes na biblioteca constituem um raríssimo e valioso conjunto bibliográfico, ainda relativamente bem conservado. Sabe-se que os documentos, ainda não catalogados individualmente, possuem valor histórico excepcional.