Menu Mobile

Operação conjunta contra o tráfico cumpre 10 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão em São Sebastião do Caí e no Litoral

Operação conjunta contra o tráfico cumpre 10 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão em São Sebastião do Caí e no Litoral

flaviaskb

A Promotoria de Justiça de São Sebastião do Caí, em conjunto com a Brigada Militar, e a Polícia Civil, cumprem, na manhã desta sexta-feira, 06, nove mandados de prisão preventiva, um de prisão temporária e 20 mandados de busca e apreensão em investigação de uma organização criminosa que atua no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Todos os mandados foram expedidos para pessoas com atuação direta no tráfico de drogas, muitas delas já envolvidas em ocorrências com prisões em flagrante – dois investigados permaneceram na atividade criminosa mesmo após presos na Penitenciária Modulada de Osório. Os mandados são cumpridos nas cidades de São Sebastião do Caí, Torres e Tramandaí.

No total, mais de 20 pessoas são suspeitas da comercialização de entorpecentes na cidade de São Sebastião do Caí, chefiadas por um casal de irmãos. Também foram sequestrados cinco veículos, duas casas e um apartamento, além do bloqueio de contas bancárias de 14 investigados. O sequestro e bloqueio de bens e valores é necessário por haver suspeita de terem sido utilizados para a lavagem do dinheiro proveniente do tráfico.

A operação, coordenada pela promotora de Justiça Cristine Zotmann, iniciou a partir de investigações sobre a possível participação de policiais militares em associação para o tráfico na cidade, o que, com as provas até então obtidas, não foi confirmado. No entanto, com o esforço conjunto entre as instituições, foi possível identificar a hierarquização da organização criminosa, que inclui a participação de uma advogada, cujo escritório foi alvo de busca e apreensão.

As prisões preventivas foram solicitadas pelo Ministério Público para a conveniência da instrução criminal, para evitar a intimidação de testemunhas, e para a garantia da ordem pública – a decretação de prisão domiciliar, por exemplo, não evitaria que os criminosos seguissem a atividade de tráfico de drogas, já que suas casas eram utilizadas justamente para essa finalidade.