Menu Mobile

Alquimia II: mais dois parceiros aderem ao projeto do MP de Santa Cruz do Sul para garantir que estudantes tenham acesso às aulas remotas

Alquimia II: mais dois parceiros aderem ao projeto do MP de Santa Cruz do Sul para garantir que estudantes tenham acesso às aulas remotas

flaviaskb

Duas novas entidades aderiram ao Projeto Alquimia II Santa Cruz do Sul, do Ministério Público local, que irá destinar celulares apreendidos com o crime e doados pela comunidade para alunos em situação de vulnerabilidade. Os aparelhos auxiliarão os estudantes a acessarem o aplicativo de ensino onde são disponibilizadas atividades domiciliares durante a pandemia. Os novos parceiros são o Projeto BTEC (Banco de Tecnologia) e o Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia, ambos de Santa Cruz do Sul. Eles ficarão responsáveis por, gratuitamente, formatar os smartphones e indicar quais peças de reposição serão necessárias.

O Projeto Alquimia II Santa Cruz do Sul é uma iniciativa da Promotoria de Justiça Criminal e tem como parceiros, além do Projeto BTEC e do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia, o Poder Judiciário, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Para que o maior número possível de alunos seja atendido, o Ministério Público pede engajamento da comunidade na doação dos telefones. Os aparelhos podem ser entregues na Promotoria de Justiça de Santa Cruz do Sul, localizada na Avenida Venâncio Aires, 959, das 13h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira.

Os promotores Jefferson Dall'Agnol, Vanessa Saldanha de Vargas e Rogério Fava Santos explicam que com a disponibilização dos aparelhos, o próprio aluno poderá acessar as plataformas de ensino, o que implicará na redução das desigualdades sociais e garantirá a concretização do direito à educação de crianças e jovens. Além disso, o programa Alquimia II Santa Cruz do Sul possibilitará destinação lícita para instrumentos de crimes e assegurará que, a partir dos aparelhos celulares recebidos, os alunos da rede pública possam efetivamente participar das atividades domiciliares até que seja possível o retorno das aulas presenciais. Outro benefício da ação do Ministério Público de Santa Cruz do Sul, juntamente com os demais parceiros, é a de garantir destinação adequada ao resíduo tecnológico, evitando passivo ambiental, e possibilitando a transformação do lixo em efetivação do direito à educação a muitos alunos que estavam excluídos desta participação, cumprindo de forma eficaz sua missão como agente de transformação social.