Menu Mobile

MPRS pede informações para SES sobre reabertura da enfermaria Covid da Santa Casa do Rio Grande

MPRS pede informações para SES sobre reabertura da enfermaria Covid da Santa Casa do Rio Grande

flaviaskb

A promotora de Justiça de Rio Grande, Camile Balzano de Mattos, solicitou informações junto à Coordenadoria da Saúde acerca da reabertura da enfermaria da Santa Casa do Rio Grande. O Ministério Público quer saber se foi realizada nova auditoria e inspeção e se a situação está de acordo com as normas de saúde.

A pedido do MPRS, a Secretaria Estadual da Saúde havia realizado, na última sexta-feira, 31 de julho, uma auditoria na ala destinada a pacientes com Covid-19 da Santa Casa do Rio Grande (enfermaria e Pronto Socorro). “O objetivo foi verificar se o atendimento estava sendo executado em conformidade com os padrões regulamentares e identificar falhas, irregularidades e possibilidades de melhorias”, explicou a promotora Camile, que recebeu diversas reclamações da sociedade acerca de problemas no local.

Diante do quadro encontrado, o médico intensivista Edgard Vernetti Ferreira, auditor da 3ª Coordenadoria Regional da SES, que realizou a inspeção, recomendou que não fossem realizadas novas internações de pacientes clínicos na ala da enfermaria Covid do hospital, até que fossem providenciadas as adequações para o devido atendimento. A Secretaria Estadual da Saúde atendeu a recomendação, porém, após informações de que haviam sido realizadas melhorias, o setor foi novamente liberado pela SES.

“O MP não tem ainda comprovação de que houve uma transformação em prazo tão exíguo, já que eram necessárias adequações importantes”, explica a promotora, que aguarda retorno da Secretaria da Saúde.

PROBLEMAS APONTADOS NA AUDITORIA

Dentre as inúmeras irregularidades encontradas estão a falta de EPIs para aos funcionários; o hospital não fornece lençóis, cobertores ou camisolas à maioria dos pacientes e as equipes de trabalho estão em quantidade insuficiente de profissionais médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas.

Quanto ao Pronto Socorro, o espaço destinado ao atendimento dos pacientes com Covid conta com ampla comunicação com as áreas da emergência, sem qualquer isolamento e não há paramentação adequada das equipes.