Menu Mobile

Não hesite, apite! MP e ONG assinam Termo de Cooperação que estabelece mecanismo para coibir violência contra a mulher

Não hesite, apite! MP e ONG assinam Termo de Cooperação que estabelece mecanismo para coibir violência contra a mulher

samantha

O Ministério Público, por meio do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e a NA’AMAT, uma ONG de mulheres voluntárias judias que existe em Porto Alegre há 70 anos, firmaram nesta sexta-feira, 07, em Capão da Canoa, Termo de Cooperação que estabelece mecanismo para coibir a violência contra a mulher, através da campanha “Não hesite, apite!” O termo prevê a distribuição de material e fornecimento de informações para conscientização das mulheres em relação a práticas de assédio/abuso sexual.

A coordenadora do CAODH, Angela Salton Rotunno, explica que o Termo foi assinado no litoral para que a primeira ação pudesse ocorrer em Capão da Canoa, ainda na tarde desta sexta-feira, tendo em vista a movimentação de turistas, o que traz visibilidade ao tema. “É de se ressaltar a união de uma instituição pública com a sociedade civil na defesa dos direitos das mulheres. Assim poderemos ser mais eficientes, mais eficazes e obter melhores resultados. É uma ação que dá visibilidade a um problema gravíssimo que a questão do assédio sexual”, explicou a procuradora.

A promotora de Justiça Marília Goldman Quites, integrante da ONG e articuladora da ação, reitera a importância do trabalho conjunto entre instituições públicas e privadas e sublinha a necessidade constante de se tratar desse assunto. “Precisamos trabalhar incessantemente pelos direitos das mulheres e, nesta ação de hoje, percebemos dois vértices: de efetivamente uma mulher dentro de um ônibus, ou uma menina até, numa balada noturna, se sentir assediada e apitar, mas, também, a questão emblemática de que as mulheres estão se protegendo, atuantes, contra o assédio”, concluiu a promotora.

A presidente da NA’AMAT, Suzete Suslik Zylbersztejn, também sublinhou que “o movimento desta sexta-feira, visa atender um dos objetivos da ONG que é a valorização e a proteção da mulher. Apitar, nesse contexto, é um grito de proteção da mulher quando se sentir agredida, e mais do que tudo, também leva à discussão de que temos que mudar essa cultura de coisificação da mulher. Integradas ficamos mais fortes pra enfrentar esse dilema”, disse Suzete.

Não hesite, apite!
O Não hesite, apite! É um movimento criado pela Associação das Advogadas, Estagiárias e Acadêmicas de Direito do Estado de São Paulo (ASAS) e pela Casa Isabel, centro de apoio à mulher, à criança e ao adolescente vítimas de violência. No Rio Grande do Sul, a ONG NA’AMAT está à frente da campanha. Entre as ações, está prevista a disponibilização de apitos às mulheres, que deverão ser utilizados para coibir a prática de assédio/abuso sexual em ambientes públicos, principalmente no transporte público.