Menu Mobile

Inquérito civil apura deterioração do Monumento aos Açorianos

Inquérito civil apura deterioração do Monumento aos Açorianos

npianegonda
Corrosão na base do Monumento coloca estrutura em risco. Ministério Público quer apurar responsabilidades e promover medidas para recuperar o Açorianos

A Promotoria de Defesa do Meio Ambiente instaurou inquérito civil para apurar responsabilidades e motivar medidas para promover a recuperação do Monumento aos Açorianos. A obra, de autoria do escultor Carlos Gustavo Tenius, foi construída na década de 70 em homenagem à chegada dos primeiros casais de açorianos que povoaram Porto Alegre.

Conforme a promotora de Justiça Ana Maria Moreira Marchesan, o inquérito foi motivado pela deterioração especialmente na base do Monumento. As peças de aço estão corroídas em decorrência da acidez natural da terra e da urina de pessoas e animais.

O autor do Monumento foi ouvido pela promotora Ana Marchesan na tarde desta segunda-feira, 31. Conforme o artista, já houve tentativas de recuperação do Monumento por parte do Município, mas nenhuma bem sucedida, sob a alegação da falta de recursos. “As chapas que o sustentam estão se desmanchando. A corrosão é inevitável. Qualquer dia o Monumento vai adernar”, alerta Carlos Gustavo Tenius.

“Considerando a importância cultural do Monumento, além de restaurar, também são necessárias providências que previnam contra este problema”, destaca a Promotora. Segundo ela, o Ministério Público buscará, junto à Prefeitura, soluções para o problema. Posteriormente, será avaliada a necessidade de ajuizamento de uma ação civil pública.

O Monumento aos Açorianos foi inaugurado em 1974. Conforme Carlos Gustavo Tenius, sua construção foi feita a pedido do então prefeito de Porto Alegre Telmo Thompson Flores, que queria uma obra de arte próxima de cada viaduto construído na cidade. Localizado no Largo dos Açorianos, que também abriga a histórica Ponte de Pedra, a estrutura lembra uma caravela formada por corpos humanos, e representa a vitória e o progresso.