Menu Mobile

Cachoeira do Sul: ação do MP promove acolhimento a professor aposentado que vivia em situação precária

Cachoeira do Sul: ação do MP promove acolhimento a professor aposentado que vivia em situação precária

flaviaskb

O Ministério Público de Cachoeira do Sul, por meio da promotora Maristela Schneider, obteve na Justiça medida protetiva em favor do professor municipal aposentado Marco Antônio Pereira Guidugli. O objetivo é garantir que ele receba atenção integral e seja tratado e cuidado pelo Município.

Figura conhecida na cidade, Guidugli, hoje com 71 anos, vivia perambulando pelas ruas com dinheiro no bolso, sendo que recentemente foi assaltado duas vezes em menos de 24 horas, tendo, inclusive, sido agredido.

Por meio da medida judicial, o Município, sob tutela direta do MP, está autorizado a gerenciar a vida financeira dele, já que recebe aposentadoria de mais de R$ 3 mil, valor suficiente para gerir uma vida com qualidade, em ambiente totalmente diferente de sua atual moradia.

Conforme Maristela, foram feitas ao longo de um ano diversas abordagens pela equipe do município e pela própria promotora, não se tendo obtido êxito em melhorar a qualidade de vida do aposentado, que vivia sujo, com as unhas enormes, vestimentas inadequadas ao clima (roupas de lã no verão), cheio de piolhos e com problemas de saúde física e mental.

A partir do acolhimento, a determinação é que ele permaneça na Instituição de Longa Permanência para Idosos e só saia, por enquanto, com acompanhamento de algum cuidador, até que se adapte a rotina de viver no local. Acumulador, Guidugli morava em uma casa totalmente insalubre, sem banheiro. O local foi lacrado pelo município para evitar invasão ou até mesmo o seu retorno.

“Ele tem diagnóstico de princípio de demência, não tem mais memória recente”, conta Maristela. A promotora esclarece que “a ideia não é segregar, mas promover cuidados que o próprio consegue pagar com sua aposentadoria. Após esse período de adaptação, Guidugli poderá voltar a fazer os passeios aos quais estava acostumado".

A ação aconteceu por meio de uma articulação do MP com a assistência social do município de Cachoeira do Sul.

Com o deferimento da medida judicial, Guidugli recebeu atendimento médico e, após alta hospitalar, foi encaminhado pela equipe técnica da rede de proteção para instituição asilar, local onde passou a residir, custeado pelo próprio.

Guidugli foi professor municipal, colunista de jornal de Cachoeira do Sul e recebeu, em 2009, o título de Cidadão Benemérito da Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul.