Voluntários recebem segundo treinamento para trabalhar na APAC em Porto Alegre

Voluntários recebem segundo treinamento para trabalhar na APAC em Porto Alegre

flaviaskb

Na manhã desta quinta-feira, 21, ocorreu a abertura do II Curso Básico para Voluntários da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) de Porto Alegre. O evento contou com a presença de autoridades e representantes dos Três Poderes e ocorre no Palácio do Ministério Público. O curso vai até sábado, quando os voluntários irão visitar a penitenciária.

A APAC, localizada no antigo Instituto Penal Padre Pio Buck, no bairro Partenon, é a primeira unidade com aplicação da metodologia a funcionar no RS. Detalhando a rotina e as dificuldades a serem enfrentadas na associação, o curso capacita os voluntários para a atuação junto aos recuperandos.

Durante a abertura, o procurador de Justiça Gilmar Bortolotto ressaltou que a APAC pertence à sociedade como um todo. “A APAC é de uma sociedade que não se conforma com a maneira como se dão os cumprimentos das penas. Pela omissão de muitos, os presídios viraram escritórios do crime”, disse o procurador. Bortolotto ressaltou que, para pensar em Segurança Pública, o governo deve levar em conta o alto índice de reincidência entre os homens no Rio Grande do Sul, que é de 75%. “Se não houver mudança de lógica de vida, teremos bandidos educados e com ofício. Por isso, existem os doze elementos da APAC. É preciso persistência e misericórdia”, afirmou o procurador.

A presidente da APAC de Porto Alegre, Isabel Cristina Oliveira, falou sobre a alternativa de cumprimento de pena e mostrou satisfação em ver a comunidade unida. “A luta das APACs tem sete anos no RS, o tempo de convencimento necessário para que haja credibilidade. A comunidade que implanta a APAC é aquela que se responsabiliza pelos seus cidadãos”, disse a presidente.

No Estado, outros dez municípios estão em fases diversas do movimento para a implantação de unidades de APACs, entre eles Palmeira das Missões, Pelotas, Três Passos, Novo Hamburgo, Santa Cruz e Guaporé.

Participaram da mesa de abertura o subdefensor público-geral, Tiago Rodrigo dos Santos, o membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RS, Edu Duda Campos, a diretora do Departamento de Tratamento Penal da Susepe, Simone Zanella, a representante do governo do estado, Giovana Foppa.