Menu Mobile

Revenda clandestina de gelo é interditada em Canoas em ação do MP, Polícia Civil e Vigilância Sanitária

Revenda clandestina de gelo é interditada em Canoas em ação do MP, Polícia Civil e Vigilância Sanitária

flaviaskb

Em mais uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Porto Alegre, da Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor (Decon), do Centro Estadual de Vigilância em Saúde e da Vigilância Sanitária de Canoas, foi interditada nesta quarta-feira, 29 de abril, uma revenda clandestina de gelo no município da Região Metropolitana. No local, que funcionava em uma residência, foram apreendidos 630kg de gelo, sendo 360kg – 45 sacos de 10kg – da marca Gelo Rei, cuja fábrica foi interditada no dia 23.


Saiba mais:
Operação articulada pelo MP resulta em duas prisões e interdição de fábrica de gelo em Canoas


A proprietária do estabelecimento, que não tinha licença dos órgãos competentes, foi autuada também pelas condições de higiene inadequadas, falta de estrutura física para funcionamento e comercialização de produtos vencidos. Segundo o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor de Porto Alegre Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a mulher confirmou que a fábrica da marca Gelo Rei – alvo de um expediente investigatório que tramita na Promotoria de Justiça Especializada de Canoas – divulgava sua revenda como um ponto de venda 24 horas do produto.