MP de Canoas instaura inquérito civil para investigar contaminação do solo no bairro Niterói

MP de Canoas instaura inquérito civil para investigar contaminação do solo no bairro Niterói

flaviaskb

O Ministério Público de Canoas instaurou, nesta terça-feira, 11, inquérito civil para averiguar a contaminação de uma área no bairro Niterói por metais pesados.

O promotor Felipe Teixeira Neto afirma que pedirá o apoio da Fundação Estadual de Proteção Ambiental para a investigação.“Já identificamos o autor do dano. Temos agora que ver a extensão da poluição”, destaca o promotor.

O alerta sobre a contaminação foi dado na semana passada pela Prefeitura de Canoas. De acordo com os representantes da administração municipal, o lençol freático e o solo de parte da comunidade do bairro Niterói estão severamente contaminados por cromo VI, um metal pesado e cancerígeno.

Enquanto não se conhece a extensão exata da contaminação, a área de risco é no quadrante que vai da BR-116 até a Rua Fernando Ferrari, e da Rua Alegrete até a Rua Minas Gerais.

Conforme o promotor, a delimitação da área suspeita levou em conta a necessidade de precaver a comunidade de exposição ao metal pesado. “É imprescindível que os moradores do bairro todo, não apenas do quadrante suspeito, não usem em hipótese alguma água oriunda de poços ou fontes alternativas de abastecimento e evitem contato com o solo”, alerta Felipe Teixeira.

De acordo com ele, estão sendo avaliadas as maneiras mais eficientes para a gestão imediata do problema, sendo que os encaminhamentos à solução somente serão conhecidos após concluído estudo detalhado para delimitar a extensão da contaminação.

Nos próximos dias, o Ministério Público realizará vistorias técnicas no local e fará reunião com a Fepam e o Município de Canoas para determinar as medidas emergenciais ao enfrentamento da questão.