Menu Mobile

Síndico da ISL concede entrevista coletiva no Ministério Público

Síndico da ISL concede entrevista coletiva no Ministério Público

grecelle
Thomas Bauer falou sobre as relações entre a empresa suíça e o Grêmio

O síndico da massa falida da empresa suíça ISL concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira no Palácio do Ministério Público. Thomas Bauer falou sobre as relações entre a empresa e os times de futebol Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e Clube de Regatas Flamengo, durante as parcerias realizadas em anos anteriores com essas agremiações.

No caso específico do Grêmio, Thomas Bauer confirmou que a ISL repassou os valores referentes a supostas multas cobradas pelos clubes River Plate, Glasgow Rangers e Palmeiras, por quebra de contato dos atletas Leonardo Astrada, Gabriel Amato e Paulo Nunes. Conforme o Promotor de Justiça Ivan Melgaré, também presente à entrevista coletiva, em depoimento prestado ontem no Fórum Central de Porto Alegre, o síndico da ISL apresentou documentos que comprovam que essas multas jamais foram cobradas do Grêmio. O destino dos valores e o endosso dos cheques repassados ao time gaúcho estão sendo investigados pela justiça.

Segundo Thomas Bauer, o maior erro da empresa foi ter feito o papel de “gringo bobo” que detém uma grande quantia de dinheiro. O suíço disse que a intenção era transformar os times brasileiros em empresas rentáveis, tendo como exemplo as instituições européias. “Houve de nossa parte um erro de avaliação, em função da falta de organização das agremiações brasileiras”. Bauer disse não ter dúvidas de que uma parte do dinheiro enviado ao Grêmio foi desviada para um esquema de fraudes. Ele também elogiou o trabalho de investigação do Ministério Público, “comprometido com o esclarecimento dos fatos”.

O representante da ISL revelou ainda que a dívida atual do clube gaúcho com a empresa suíça chega a R$ 20 milhões. Bauer acrescentou que a intenção é conversar com a atual administração do Grêmio para negociar de que maneira esse pagamento poderia ser feito. Questionado sobre qual imagem levava do Brasil, o suíço ressaltou que tem uma visão extremamente positiva do país. Enfatizou que está satisfeito com as investigações no RS e que também não guarda qualquer mágoa do Grêmio. “Inclusive estive no estádio Olímpico no último sábado assistindo ao jogo contra o Santa Cruz”.