Menu Mobile

Procurador-geral defende aumento das restrições e suspensão da cogestão após divulgação de avanço da pandemia

Procurador-geral defende aumento das restrições e suspensão da cogestão após divulgação de avanço da pandemia

flaviaskb

Em manifestação durante reunião da tarde desta quinta-feira, 25 de fevereiro, após divulgação dos novos dados sobre o avanço da pandemia no Estado pelo Comitê Científico de Apoio ao Enfrentamento à Covid-19 do Governo estadual, o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, defendeu o aumento no nível de restrições e isolamento para reduzir o contágio e evitar o colapso do sistema de saúde. O PGJ também manifestou-se pela suspensão do modelo de cogestão, como único caminho possível neste momento de extrema gravidade, em que será necessária centralidade nas decisões e no manejo de recursos médico-hospitalares disponíveis no Estado para o atendimento da população. “Nosso sistema de saúde está à beira do esgotamento, foi o que eu li e ouvi agora, estamos sem leitos, sem equipes suficientes para atender as pessoas, o que mais iremos esperar para adotar medidas mais duras?”, questionou ele durante a reunião promovida pelo governador Eduardo Leite e sua equipe, com participação de representantes de todos os prefeitos e transmissão online.

Dirigindo-se aos gestores municipais presentes, o PGJ pediu em nome do Ministério Público gaúcho que adotem as medidas necessárias em suas cidades, evitando a judicialização dos problemas e a insegurança jurídica. “Faço um apelo a todos os prefeitos para que possamos seguir no caminho do diálogo, como temos feito desde o início da pandemia, enfrentando juntos os conflitos e garantindo o atendimento das demandas da sociedade. Tenho certeza de que, desta forma, vamos superar este momento difícil, seguir protegendo a população gaúcha, para, em breve, ver o decréscimo destes números e, assim, retomar protocolos mais brandos”.