Caso Bernardo: pai do menino é o primeiro a ser interrogado

Caso Bernardo: pai do menino é o primeiro a ser interrogado

flaviaskb

Terminou por volta das 19 horas desta quarta-feira, 13, no Fórum de Três Passos, o terceiro dia do julgamento dos réus acusados pela morte do menino Bernardo Boldrini, ocorrida em 2014, aos 11 anos de idade.

No período da manhã, foi ouvido Luiz Gabriel Costa Passos, perito grafotécnico particular, a última das testemunhas de defesa a prestar depoimento. Ele foi contratado pela defesa de Leandro Boldrini para fazer a análise grafotécnica da assinatura na receita do medicamento Midazolan, entregue por Edelvânia à atendente da farmácia que a reconheceu.

Em seguida, houve o intervalo para o almoço e pouco antes das 15h, com mais de 25 horas de julgamento ocorrido, começou mais uma etapa do rito jurídico: o interrogatório dos réus.


Leia mais:
Caso Bernardo: seis testemunhas foram ouvidas no segundo dia do julgamento
Caso Bernardo: depoimentos das duas primeiras testemunhas de acusação marcam primeiro dia do júri


O PAI

Leandro Boldrini foi interrogado por quase três horas. Ele respondeu às questões formuladas pela juíza, Sucilene Werle, e, em seguida, aos questionamentos dos promotores de Justiça Bruno Bonamente e Silvia Inês Jappe. O promotor Ederson Vieira teve parte das suas perguntas respondidas, porém, no meio do interrogatório, o réu foi orientado por seus advogados a permanecer calado, conforme direito previsto em lei.

Ao Ministério Público restou autorizada a consignação de perguntas. A defesa decidiu em seguida consignar, ou seja, deixar registrado, que essa conduta caracterizaria, no seu entendimento, nulidade do júri. Depois de referida manifestação da defesa, que deverá ser analisada posteriormente em eventuais recursos ao Tribunal de Justiça e Cortes Superiores, a juíza deu continuidade aos trabalhos.

INTERROGATÓRIOS SEGUEM NESTA QUINTA-FEIRA

Os interrogatórios dos réus Graciele Ugulini e dos irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz acontecerão nesta quinta-feira, e a sessão deverá se estender até a meia-noite. Posteriormente ocorrerão os debates entre Ministério Público e defesa, com tempos destinados às réplicas e tréplicas.

A expectativa é de que as quatro sentenças, com a decisão dos jurados e aplicação de penas, sejam proferidas na sexta-feira, 15 de março.