Caso do drone no estádio: Ministério Público denuncia torcedores da dupla Gre-Nal

Caso do drone no estádio: Ministério Público denuncia torcedores da dupla Gre-Nal

flaviaskb

A Promotoria Especializada do Torcedor apresentou à Justiça, no final da tarde desta terça-feira, 22, uma denúncia contra sete torcedores da dupla Gre-Nal. Eles são acusados de participação nos episódios do dia 27 de novembro de 2016, quando um drone sobrevoou o estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, durante o segundo tempo da partida entre Internacional e Cruzeiro, válida pelo Campeonato Brasileiro.

Foram denunciados cinco torcedores por envolvimento na utilização ilegal do drone e outros crimes. Por incitação à violência e fraude processual, deverão responder perante à Justiça outros dois torcedores que depredaram uma residência após o término do jogo.

MINISTÉRIO PÚBLICO AGE PREVENTIVAMENTE

Dias antes do jogo, a Promotoria Especializada do Torcedor foi informada que um grupo de torcedores estava se organizando via whatsapp para comprar um drone, que seria usado para sobrevoar o estádio colorado na tarde do jogo contra o Cruzeiro. A partir disso, o promotor do Torcedor Márcio Bressani entrou em contato com os torcedores, via aplicativo, e esclareceu aos organizadores do grupo que aquela seria uma prática ilícita e arriscada, podendo resultar em acidente grave, com uma possível queda do objeto ou tumulto, em razão da provocação.

TROCA DE MENSAGENS

“A conduta mencionada sujeita torcedores às sanções legais, com a possibilidade concreta de afastamento dos estádios, sem falar nas consequências criminais já aventadas... desejo um bom domingo e um bom final de ano, com o divertimento que o futebol é capaz de proporcionar. Reitero, outrossim, que a paz nos estádios é buscada como conquista da sociedade gaúcha, envolvendo diversas instituições, esperando que torcedores gremistas e colorados, convivam adequadamente e com regularidade”, escreve o promotor, que também esclarece que uma cópia da conversa seria encaminhada ao comando da Brigada Militar.

A reposta de um dos denunciados vem em seguida. “Tá e qual a moral disso ai?”, quando o promotor então ressalta: “A moral é a prevenção de crimes, atos de violência, e a busca de segurança para todos os torcedores nos estádios”.

MONITORAMENTO

O sistema de monitoramento das câmeras do estádio auxiliou na identificação dos torcedores. O drone foi apreendido meses depois, no dia 26 de dezembro, quando agentes da Polícia Civil cumpriram mandado de busca deferidos pelo Juizado do Torcedor e localizaram o equipamento na cidade de Arvorezinha, há cerca de 200 km de Porto Alegre. O MP fará um pedido judicial para que o objeto seja doado a Polícia Civil. “O drone, que foi usado para incitar a violência no estádio, agora deve auxiliar no combate à criminalidade no Estado”, explica Bressani.

A VIOLÊNCIA DEPOIS DO JOGO

Assim que o jogo terminou no estádio Beira-Rio, um grupo de torcedores colorados decidiu seguir para o local de onde, supostamente, o objeto teria decolado. O grupo aparece nas imagens das câmeras de monitoramento do clube apontado para a direção do morro Santa Tereza e, poucos minutos depois, identifica, de forma equivocada, uma casa e inicia uma série de ataques.

Imagens feitas por uma pessoa que transitava na rua e postadas em seguida nas redes sociais, flagram a ação do grupo, que invade a residência onde estavam um casal e uma criança que nenhuma relação tinham com os fatos. Os torcedores colorados praticam atos de vandalismo e violência.

Com ajuda do vídeo postado nas redes sociais e com as imagens das câmeras de segurança do estádio a Promotoria Especializada do Torcedor identificou dois torcedores do Internacional. Além das imagens, o sistema de biometria do Beira-Rio foi fundamental para que se tivesse certeza da identidade dos dois torcedores.

“Esse episódio demonstra que não há justificativa para a incitação ou a prática de atos de violência no contexto dos estádios. A rivalidade entre clubes e torcedores deve ser salutar para engrandecer o espetáculo, mas jamais colocar vidas em risco”, concluiu Márcio Bressani.

DENUNCIADOS

- 4 torcedores foram denunciados por incitação à violência e direção não licenciada de drone;

- 1 torcedor foi denunciado por fraude processual, porque buscou retirar o drone do local, na hora em que os policiais cumpriam mandado em Arvorezinha;

- 2 torcedores foram denunciados pela prática de tumulto, invasão à residência e dano ao patrimônio.

A promotoria do torcedor registra que, mesmo após essas denúncias, o processo segue em andamento para identificação de novos envolvidos.